terça-feira, 11 de julho de 2017

Mar

Um mar tirado a ferros de uma das alunas mais talentosas e que gosta mesmo de pintar. Já é um bom começo. Foi várias vezes alterado, procura das melhores soluções, a pintura é tudo menos instintiva e de solução rápida. É muito difícil tudo parecer simples, e mesmo para alguém que se apaixona por ela, caso da minha aluna, o trabalho é custoso, quando o próprio professor é apenas um autodidacta sem formação específica. O mar revolto a mistura da areia com a água está bem conseguida. O resto o tempo há-de aperfeiçoar.

1 comentário: